Reunião termina sem decisão sobre final do Paulista ser no Allianz Parque

 


A Federação Paulista de Futebol (FPF) adiou a decisão sobre a data da segunda final do Campeonato Paulista entre Palmeiras e São Paulo. Em reunião com dirigentes dos clubes na manhã desta segunda-feira, 28, a entidade optou por ainda não dar um veredito sobre o confronto, motivo para queda de braço nos bastidores entre os rivais nos últimos dias. A primeira partida será na quarta, 30, às 21h40 (de Brasília), no Morumbi, com transmissão na Record TV, YouTube, HBO Max, Estádio TNT Sports, Premiere e Paulistão Play.


“Informações a respeito do jogo de volta serão divulgadas nas próximas horas”, disse a entidade em nota.

A previsão é para que a FPF opte por seguir o artigo 4 do regulamento específico da competição que diz que o torneio iniciaria em 26 de janeiro e tem término em 3 de abril após quatro fases (grupos, quartas, semi e final). Ou seja, a final seria mantida para domingo, 3.

A data da segunda final, contudo, não é um entrave definitivo para o uso do estádio pelo Palmeiras. A diretoria do clube ainda negocia a possibilidade de ter o seu campo para o confronto. O Palmeiras iniciou conversas com a WTorre, empresa administradora do estádio, para manter a final domingo, no Allianz Parque. A própria Leila Pereira teria conversado com os representantes da empresa para que a montagem do show não prejudicasse o mando palmeirense.

A polêmica se dá pelo fato de um show da banda Maroon 5, programada para 5 de abril, uma terça-feira. O Palmeiras teria que ceder o estádio à montagem do evento dias antes. Desse modo, a ideia inicial era adiantar o jogo para o sábado, 2, o que enfrentou resistência do presidente do São Paulo, Júlio Casares.

“Eu tenho a informação que o jogo é quarta e domingo. Não posso imaginar isso. A Federação Paulista tem dado uma demonstração de eficiência, de competência. Então, acho que o bom senso é manter os jogos quarta-feira e domingo”, disse o dirigente.

Se não houver colaboração entre o mandante e os organizadores do show, a partida precisará ser realocada. Como resposta, Leila Pereira não cogita a mudança: “Não passa pela minha cabeça a possibilidade de jogarmos essa final fora do Allianz Parque. Vamos trabalhar para que esse direito, consagrado pelo regulamento, seja respeitado”, respondeu Leila.

Com melhor campanha no geral, o atual bicampeão da Libertadores tem o direito de mandar o jogo de volta.

FONTE: LANCE

Postar um comentário

0 Comentários